Coluna

Zoom

Fernando Torres, Lucas Rocha e Miriam Gomes Chalfi
199 - 16/06/2017

Guto MunizReinvenção na TV

São anos e anos de história emocionando o público, seja no Brasil ou fora dele. Depois de imortalizar seu nome no teatro como uma das criadoras do Grupo Galpão, a mineira Teuda Bara se prepara para integrar o elenco de A vila, novo programa humorístico do canal fechado Multishow, criado e protagonizado pelo ator Paulo Gustavo, com previsão para estreia em agosto. O convite, feito pelo próprio humorista, veio depois que ele assistiu ao trabalho de Teuda em Nós, trabalho recente do Galpão, dirigido por Marcio Abreu. No programa, Teuda será uma mãe possessiva, com veia cômica forte. Sobre o desafio de integrar um elenco fixo na TV, ela conta: “Achei que o Paulo Gustavo ia me mandar de volta! Eu falei com ele que levava sete meses pra estrear uma peça, e aqui é decorar em um dia para gravar no outro. No início, foi mais difícil, mas você vai se apossando da personagem e fica mais fácil. Isso sem falar da ajuda do elenco que é incrível e está em muita sintonia.”

 

Do lazer à arquitetura

A realidade virtual vai muito além da diversão. Um dos exemplos é o uso na arquitetura, em que o cliente pode “entrar” no projeto e ver cada detalhe de perto. A arquiteta Bruna Del Sarto pesquisou bastante sobre a tecnologia e, agora, oferece esse diferencial ao mercado, fazendo desde um único ambiente até o projeto completo de uma casa, incluindo o design de interiores. O melhor é que o trabalho em realidade virtual sai pelo mesmo preço do tradicional. Os ganhos, entretanto, são muitos. “Com o uso dos óculos 3D, os clientes otimizam tempo e fazem escolhas mais assertivas”, atesta Bruna, frisando que a procura pelo serviço vem aumentando. Há um ano, ela fazia um projeto com a tecnologia por mês e, hoje, o número chega a três. Bruna também aluga o equipamento para construtoras e lojas de móveis e faz a conversão do projeto para óculos 3D para profissionais da área.

 

Música do bem

Muito mais que ensinar a tocar instrumentos, as aulas de música refletem no melhor desenvolvimento escolar e ajudam a lidar com a vida em geral. Essa é a percepção das professoras Taciana Carolina Oliveira (esq.) e Renata Benedetto, sócias da rede Quatro por Quatro, que participa do projeto Música na Escola. Criado pela prefeitura, o programa abrange alunos do 1º ao 9º ano do ensino fundamental, com aulas gratuitas de teoria musical, flauta doce, teclado, violão e violino, com aulas duas vezes por semana, no contraturno. Somente nas três unidades da rede, 800 crianças e adolescentes participam do projeto. Os resultados são visíveis. “A música é benéfica em qualquer idade. Auxilia na questão social, na memória, concentração, no respeito um com o outro, no autoconhecimento”, acrescenta Taciana. Segundo ela, o diferencial da rede, fundada em 2011, é a metodologia totalmente voltada para o ensino da música para crianças e adolescentes.

 

Tim-tim no cinema

Ver um filme e, ao mesmo tempo, degustar um bom vinho, um chocolate quente com churros ou uma irresistível pizza em pão sírio... Opções são o que não faltam no cardápio da sala Premier da rede Cineart, que acaba de ser repaginado pelo chef Pablo Abreu. Formado em gastronomia pela escola Mausi Sebess, em Buenos Aires, Pablo inovou no quesito bebidas, incluindo vinhos do novo mundo, nos pratos e nos cafés. Uma das novidades é o trio de mini-hambúrgueres com cebola confitada, queijo e pão de abóbora. Mas o sanduíche de frango com queijo gruyère e mostarda de mel é o campeão de pedidos. “Também o pralinê de castanhas com toque de canela tem saída bacana”, frisa. Em média são vendidos 30 produtos por sessão – cabem 49 pessoas no espaço VIP -, sendo que a sala também é muito procurada para realização de eventos, com cardápio recheado de canapés, brusquetas, minissanduíches e sobremesas variadas. Uma tentação!

 

DNA mineiro

A história na música dos amigos Daniel Gallagher (dir.) e Lucas Bandeira é antiga e, apesar de ter ficado em segundo plano nos últimos anos, volta com tudo em 2017. Eles acabam de lançar o projeto Novell com a proposta de gravar músicas au

torais convidando nomes importantes da música mineira para tocar e cantar, a exemplo de 

Eduardo NascimentoCláudio Venturini e Gabi Mello. “O primeiro critério é ser mineiro. O segundo é ser bom. Como tocamos há muitos anos, conhecemos centenas de músicos em Minas. Quando compomos uma música, naturalmente os nomes vêm à cabeça. As músicas acabam ‘pedindo’ músicos e intérpretes com alguma característica. Então, o processo é natural”, conta Daniel. Para o pontapé inicial, eles lançaram, recentemente, o videoclipe de Back again que pode ser assistido no Youtube e já está sendo executado nas rádios. O EP de lançamento, #1, pode ser ouvido completo no Spotify.

 

O olhar diz tudo 

“Eu não vendo cílios, eu vendo autoestima.” Com essa frase, a empresária Michelle Cabral define a The Lashes Co., grife de embelezamento do olhar inaugurada em outubro de 2015 e, hoje, referência nacional em extensão de cílios. Formada em engenharia química, Michele conheceu o serviço no exterior, começou a pesquisar a respeito e viu que não havia nada parecido no Brasil. O negócio deu tão certo que ela precisou contratar seis artistas de cílios – que ela mesma formou, vale dizer – para dar conta da agenda cheia. O procedimento demora duas horas e é feito num estúdio equipado com conforto e segurança. “A proposta é vender uma experiência de beleza e naturalidade, não a beleza artificial”, diz. A técnica mais procurada é o volume russo, com fios de seda ou cashmere de no máximo 0,07 milímetro de espessura. Michelle também dá cursos em todo o Brasil, por meio da Lashes Co. Academy, focada em mulheres empreendedoras.

 

Reforma do Chalé

Figurinhas já carimbadas no Clube Chalezinho, o gestor de festas de formaturas Guilherme Guimarães (esq.) e o promoter Elzio Pereira passam a integrar o time de sócios da casa. E a aquisição já resulta em novidades. Além da boate, o espaço estreia dois novos núcleos, o Quintal Chalé e a drinqueria Jabu. “Queremos reforçar o conceito de diversão para todos, com diversos perfis e momentos”, adianta Guilherme. Localizado no estacionamento, o Quintal se inspira nos mercados de rua (leia-se food parks), com a intenção de misturar gastronomia e arte – a área tem um grafite de 600 metros quadrados do artista Matheus Aminadab. Já a Jabu é uma drinqueria aos pés de uma jabuticabeira de 60 anos, que aportou de guindaste no Chalé. “Trouxemos uma carta de drinques muito diferenciada, criada em parceria com a coquetelaria The Juniper 44º, de São Paulo”, adianta Guilherme.




Comentários