Política

Romper com a incompetência

Senador Álvaro Dias defende reformas profundas e comprometimento da população com mudanças
Sueli Cotta
201 - 11/09/2017

Tião Mourão “Os erros praticados pelos governos nos últimos anos, além dos benefícios fiscais a grandes empresas como a JBS e ao empresário Eike Batista e para ditaduras corruptas e sanguinárias, elevaram a dívida interna, que consome 52% do que é arrecadado no país, com juros, serviços e encargos da dívida”, um desastre, segundo o senador Álvaro Dias (Podemos-PR), na sexta edição do almoço-palestra do Conexão Empresarial, evento promovido pela VB Comunicação, no espaço V, em Nova Lima.
Segundo o senador, o momento político é complexo e vem causando enorme decepção ao brasileiro. São milhões de desempregados, além do desmonte dos serviços essenciais à população, que convive com o caos na saúde, o retrocesso educacional e a dívida pública, que cresce de forma avassaladora. Para ele, a gestão petista se transformou em balcão de negócios, com uma relação de promiscuidade entre os poderes, que só parou com as investigações da operação Lava Jato, que também reabilitou a Polícia Federal e o Ministério Público da União.
A desonestidade levou a essa desorganização sem precedentes, e o pior, segundo o parlamentar, é que esse sistema implantado em Brasília foi clonado por estados e municípios, que hoje estão falidos. Para Álvaro Dias, é preciso romper com esse modelo de incompetência que assolou o país, substituindo-o por um sistema que prime pela ética e que faça reformas profundas, com um presidente que defenda essas mudanças e que tenha capacidade de promover os consensos necessários para aprová-las.
Apesar dessa conjuntura pessimista, na palestra para empresários, políticos e autoridades, o senador Álvaro Dias disse acreditar que é preciso ser otimista em relação ao futuro.
“O cenário político passa por um momento de transformação.
A maioria da população deseja que as mudanças aconteçam e este é o caminho”, afirma. Mas ele entende que as pessoas precisam se comprometer, e participar da vida política do país para ajudar a promover as mudanças.




Comentários