Coluna

Entre Aspas

Sueli Cotta
202 - 11/10/2017

Pacto federativo

Nos governos do PSDB e do PT, a discussão do pacto federativo defendido por governadores e prefeitos não saiu da gaveta. Agora, parlamentares aumentam a pressão para que o presidente Michel Temer modifique a distribuição dos recursos. A União concentra 70% da arrecadação tributária; desse total,
60% ficam com o governo federal, 26%, com estados, e 14%, com os municípios. Temer diz que esse é um dos objetivos do seu mandato, mas condiciona a revisão do pacto a aprovação da reforma da Previdência.

Disputa pelo Senado

Definir quem vai disputar as duas vagas ao Senado é um problema para os petistas. Um grupo quer a ex-presidente Dilma na chapa. Os deputados Reginaldo Lopes e Marília Campos trabalham pela indicação. A outra vaga o PT vai abrir para o PMDB na aliança pela reeleição de Fernando Pimentel.


Conta amarga

Nunca o custo da máquina pública incomodou tanto. Mas quando os gastos do governo são analisados, essa conta fica ainda mais amarga. Para se ter uma ideia, só com auxílio-moradia dos Três Poderes foram gastos R$ 1,145 trilhão em 2016. De janeiro a agosto de 2017, já foram contabilizados R$ 744 milhões.




Comentários