Artigo

Os protagonistas em 2018

Paulo Paiva
205 - 05/01/2018

Finalmente, o distante 2018 chegou. No entanto, outubro parece ainda muito longe, embora o tempo seja curto para tantas mudanças que virão até lá – basta ver o calendário eleitoral e aguardar os julgamentos na Justiça.
Muito irá mudar em relação ao cenário atual emergindo das pesquisas de opinião, que indicam a polarização entre Lula e Bolsonaro. O resultado de julgamentos em segunda instância e o desempenho da economia serão os principais fatores a alterar o quadro. No início do ano, se saberá se Lula estará elegível. A confirmação ou não de sua condenação pode afetar a estratégia do PT, que poderá ter Jaques Wagner e Fernando Haddad disputando a vaga ou optar, eventualmente, por apoiar coligação, com Ciro Gomes, do PDT, ou Manuela D’Ávila do PCdoB. Em qualquer circunstância, porém, Lula será o principal eleitor da esquerda.
As indecisões do PSDB colocaram o partido em posição muito desconfortável. Apesar de ter desembarcado do governo, o destino eleitoral do PSDB está ligado umbilicalmente ao comportamento de Temer, cujo protagonismo nas eleições não pode ser desprezado. A viabilidade eleitoral de Geraldo Alckmin dependerá do comportamento da economia e da avaliação do governo Temer. Se no final de março, Henrique Meirelles (PSD) decidir sair do ministério para se candidatar, o mercado e o centrão poderão apoiá-lo, deixando o PSDB isolado.
Ademais, há tempo para Luciano Huck rever sua decisão, filiando-se a algum partido. Decisão que poderá ser adiada até 2 de abril, aguardando pelo resultado da desincompatibilização de ministros e governadores. Aliás, outras possíveis candidaturas, como de Joaquim Barbosa, poderão também surgir no mesmo prazo. A partir de então estarão definidos os que se qualificaram para postular suas candidaturas nas convenções que acontecerão de 20 de julho a 5 de agosto.
Bolsonaro e Marina Silva correm em paralelo, ao sabor da aceitação dos eleitores. Se um dos dois chegar ao segundo turno, será beneficiário dos votos do outro. Mas, que ninguém se iluda, Lula e Temer serão os grandes protagonistas em 2018. vb




Comentários