Coluna

Passeio Cultural

Lucas Rocha
207 - 05/03/2018

Elisa MendesA força da mulher

Em tempos sombrios, a cultura segue firme como instrumento para impedir retrocessos. E é evocando a figura de Medeia, em Mata teu pai, que Débora Lamm tira a contradição da mãe que matou os filhos para se vingar do marido para incorporar uma mulher subjugada por uma sociedade em que os homens têm o poder primário. “Interpretar Medeia já é uma felicidade. Remontá-la pegando essa força milenar e direcioná-la para o discurso feminista, emprestando essa força para quem precisa dela, tem sido incrível”, expressa.
A peça, em cartaz no Sesiminas em 24 e 25 de março, às 21h e às 19h, respectivamente, tem nos bastidores muita força feminina, com a parceria de Lamm com a diretora Inez Viana e e a premiada dramaturga mineira Grace Passô, responsável pelo texto. “É uma celebração continuar a parceria com a Inês, que já dura nove anos, e poder trabalhar com alguém com o talento da Grace. Tem sido lindo”, revela Débora.
Aproveitando a turnê, Inez realiza uma oficina gratuita entre 21 a 23 de março, também no Sesiminas, para pessoas acima de 65 anos interessadas em integrar o coro que faz parte da montagem teatral. “Além de dar um ar documental à peça, o mais legal da ação é mostrar que o teatro não tem idade. Pelo contrário: tem o poder de trazer jovialidade e adrenalina para quem possui esse desejo adormecido em si”, analisa a protagonista.
E de paixão por teatro Débora entende muito bem. Mata teu pai coincidentemente se tornou o trabalho para celebrar os 20 anos de uma carreira bem-sucedida nos palcos, no cinema e na televisão: “Eu me sinto cada vez com mais força para seguir em frente e, principalmente, tendo em mente que o caminho é a maior delícia disso tudo. Já fui presenteada com personagens que me trouxeram muita alegria, mas quero continuar desbravando o que puder”.
Esse caminho segue com muitos trabalhos. Débora continua no elenco do programa Zorra, está em Como é cruel viver assim, novo filme de Júlia Rezende, irá dirigir um espetáculo com estreia prevista para abril e ainda participa do elenco da montagem produzida por sua companhia, a Omondé, adaptando um texto inédito de Nelson Rodrigues, A mentira. “O trabalho me faz muito bem, ele me salva!”.

Drama com sotaque carioca
O ator Malvino Salvador é responsável por dar vida à figura de um temido bicheiro que assume diversas facetas depois de morrer, ao descobrir, no além, que a amante se torna fonte de um repórter disposto a vasculhar sua vida. Inspirada na obra de Nelson Rodrigues e com trilha sonora recheada de clássicos de Dalva de Oliveira e Ary Barroso, a peça Boca de ouro realiza temporada no Grande Teatro do Palácio das Artes, em 17 e 18 de março, às 21h e às 19h, respectivamente. Ingressos: de R$ 25 a R$ 60. Informações: (31) 3236-7400.
Lollapalooza alternativo
Seguindo a tradição de movimentar a agenda cultural das cidades com shows que integram a programação do Lollapalooza, o festival paulistano apresenta o cantor David Byrne no KM de Vantagens Hall, em 29 de março, às 20h. O show faz parte da turnê que promove seu mais recente trabalho, American utopia, lançado neste mês. Ingressos: R$ 100 e R$ 200 (primeiro lote). Informações: (31) 3209-8989.
Leo AversaTerror contemporâneo
O diretor Aderbal Freire-Filho e o ator Felipe de Carolis repetem a parceria de sucesso vista em Incêndios (peça mais premiada da história do teatro) no espetáculo Céus, em cartaz no Teatro Bradesco, em 16 e 17 de março, às 21h. Temas da atualidade, como o terror e os conflitos do mundo contemporâneo perpassam a narrativa onde cinco especialistas estão presos em um bunker, com o objetivo de desvendar um iminente atentado terrorista. Ingressos: R$ 25 e R$ 12,50. Informações: (31) 3516-1360.

Netflix
A Netflix traz de volta um novo formato do reality show Queer eye for the straight guy, em que um time de cinco homens gays, especialistas em diferentes áreas (moda, beleza, gastronomia, cultura e arquitetura), são responsáveis por fazer uma mudança de vida para os participantes. Com o nome apenas de Queer eye, o programa é uma delícia, por arrancar boas risadas e ir além do superficial, propondo reflexões importantes como, por exemplo, o racismo.

Spotify
Que a voz de Maria Rita é irresistível ninguém se atreve a contestar, mas quando ela assume os vocais do samba se torna deleite aos ouvidos. Em seu mais novo trabalho, Amor e música, a sensação se repete faixa após faixa. O disco, que conta com colaboração de Zeca Pagodinho, Carlinhos Brown, Moraes Moreira e Marcelo Camelo, ganha show inédito com parada em BH no dia 14 de abril, às 22h, no KM de Vantagens Hall.

Sétima arte
A lista de concorrentes ao Oscar 2018 separou uma boa dose cinematográfica de qualidade, que merece uma maratona mesmo após a cerimônia. Entre os preferidos, destaque para Eu, Tonya e a interpretação impecável de Margot Robbie; a sensibilidade no enredo de A forma da água, de Guillermo del Toro; o intenso Três anúncios para um crime, com Frances McDormand; e o drama Trama fantasma, de Paul Thomas Anderson.




Comentários