Estilo

Shaping fashion

Em Londres, exposição no V&A Museum homenageia o trabalho do couturier espanhol Cristóbal Balenciaga
Luciana Mamede
207 - 05/03/2018

Fredéric Botomba

E no último badalo do sino eis que consigo entrar na tão falada exposição que celebrou a técnica primorosa e o pioneirismo do estilista Cristóbal Balenciaga. O museu Victoria and Albert, em Londres, apresentou, de 27 de maio de 2017 a 18 de fevereiro de 2018, Balenciaga: Shaping Fashion, exposição sobre o trabalho e o legado do estilista.
Me deparei com a lista de aviamentos usados pelo couturier escrita de próprio punho, uma boneca do século 19 vestida com mangas bufantes e cintura marcada, toucas de dormir bordadas com minúsculas rendinhas e elegantes sapatos de cetim amarelos. Esses foram alguns dos pontos altos desta belíssima exposição repleta de história, arte e muita pesquisa num formato inteligente e organizadíssimo. Vale ressaltar: no último dia da exposição, 18 de fevereiro, os ingressos para a entrada da mesma eram restritos aos memberships do museu. Minha curiosidade foi tamanha que não resisti: tornei-me membro do museu e não me arrependi.
A curadora britânica Cassie Davies-Stroder passou 18 meses preparando a mostra e teve como seu maior desafio uma exposição sobre um homem extremamente reservado, que deu uma única entrevista em toda sua vida, que não convidava jornalistas para assistirem ao preview de suas coleções, tampouco aparecia para agradecer ao final de seus desfiles ao longo dos 10 primeiros anos de suas coleções. “Sua maior contribuição foi a maneira com que ele transformou a forma – as saias tulipa, mangas raglan, formas volumosas que libertaram as mulheres de silhuetas tradicionais”, explica a curadora Cassie Davies-Strodder. “Ele foi o primeiro a fazer o tubinho, uma peça que hoje todo mundo tem no armário, mas que na época foi criticada pela imprensa”, explicou. 




Comentários