Artigo

Somos chamados à santidade

José Martins de Godoy
203 - 01/11/2017

A ministra mineira do STF apequenou-se e defendeu uma tese que fora antes combatida pelo senador afetado pelo julgamento. O tribunal ficou desmoralizado e essa decisão vai trazer consequências funestas nos futuros relacionamentos institucionais. Por essa e outras razões, decidi não mais assistir a noticiários pela TV, para não me inteirar dos detalhes sórdidos das práticas brasilienses. Para não ficar alienado, vejo, por alto, algumas manchetes em sites de notícias. E chega!
Para usar bem o tempo que ainda me sobra das minhas muitas atividades, tenho estudado a vida dos santos. São vidas fascinantes, inspiradoras, que nos mostram formas extremadas de amor a Deus e ao próximo.
Todos nós somos chamados à santidade, de diversas formas e circunstâncias: são Padre Pio desde criança já se “relacionava” com Jesus; são Domingos Sávio ainda menino declarou que queria ser santo; santa Teresinha compreendeu que, para ser santa, não precisava fazer coisas extraordinárias e, sim, coisas simples, com extremo amor a Cristo; são Bento desde criança manifestou um gosto especial pela oração. Levou uma vida de trabalho, recolhimento e oração, donde o lema dos beneditinos Ora et labora. Foi o estruturador da vida monástica. Conversões tardias também aconteceram: santo Agostinho até os 33 anos teve inúmeras experiências mundanas. Nas Confissões declarou: “Tarde te amei, ó beleza tão antiga e tão nova… Tarde te amei! Trinta anos estive longe de Deus. Mas, durante esse tempo, algo se movia ...”; santo Inácio de Loyola era um cidadão do tipo capa/espada, ferido na guerra, em recuperação, leu um livro sobre a vida dos santos. Interessou-se pelo assunto e escutou o chamado dos céus.
Julgo que, para ser santo, ações simples e honestas podem ajudar. Pelo lema Ora et labora, compreendemos que não é necessário nos isolarmos do mundo para começar a viver a santidade. É imperioso amar a Deus incondicionalmente e dar graças pelo dom e milagre da vida e por tudo que recebemos. Uma coisa é certa! Sem praticar a caridade ninguém chega lá.




Comentários