Coluna

Entre Aspas

Sueli Cotta
206 - 05/02/2018

Telhado de vidro
Se confirmadas as previsões do líder governista no Legislativo mineiro, Durval Ângelo (PT), esta será uma eleição sem ataques. Apesar do farto material para ser usado nos programas eleitorais, praticamente todos os partidos têm telhado de vidro. Poucos escapam das denúncias de corrupção, caixa 2 e uso indevido de recursos públicos feitas pelo Ministério Público Federal. Caberá ao eleitor mostrar que tem memória e escolher melhor seus candidatos.

“Não são as espécies mais fortes que sobrevivem, nem as mais inteligentes, e sim as mais suscetíveis a mudanças.”
Charles Darwin


Cartão sem limites
A Presidência da República fechou 2017 em segundo lugar no ranking dos órgãos que mais gastam com cartão corporativo. Foram quase R$ 12 milhões, pouco menos do que o Ministério da Justiça, que usou R$ 12,1 milhões no mesmo período. Como se vê, para as demandas do governo não há crise.

“Os idiotas vão tomar conta do mundo, não pela capacidade, mas pela quantidade. Eles são muitos.”
Nelson Rodrigues


Congestionamento eleitoral
A morosidade da Justiça Eleitoral para julgar as denúncias contra candidatos vai acabar causando congestionamento eleitoral. Só nos primeiros meses de 2018 serão realizadas eleições nas cidades mineiras Ibituruna, Campo Azul e Santa Luiza e nos municípios de Novo Aripuanã (AM) e Paraú (RN).




Comentários