Capa

A nova cara da dermatologia

Amparada na tecnologia, a nova safra de dermatologistas fala sobre rejuvenescimento
Fernando Torres
207 - 05/03/2018

Equipados com equipamentos ultratecnológicos e ativos cheios de prodígios, a nova safra de dermatologistas prioriza a estética. Nada de intervenções que descaracterizam o rosto; sutileza e naturalidade dão as cartas por aqui. “Cada vez mais jovens, os pacientes se preocupam com prevenção. Mulheres são maioria, mas os homens não se acanham e procuram aplicações de toxina botulínica e alguns tipos de laser”, revela Tathya Taranto, uma das representantes dessa geração. Conversamos com cinco médicos nesse perfil para saber as principais novidades do setor. Veja a seguir.

Juliana FlisterTATHYA TARANTO
Ela deu algumas boas voltas antes de aterrissar em BH. Ex-modelo, a carioca estudou Medicina no Centro Universitário do Maranhão, em São Luís, e mudou para a capital mineira por conta da especialização em dermatologia na Rede Fhemig. Isso já há cinco anos, até que, em dezembro de 2016, Tathya Taranto abriu sua clínica, no Funcionários, com foco em trazer para a cidade o crème de la crème dos aparatos tecnológicos.
Uma das aquisições mais recentes é o Velashape 3, nova versão do aparelho hiperpotente que combina radiofrequência, luz infravermelha, sucção a vácuo e rolos de drenagem para tratar celulite, flacidez e gordura localizada. “Somos a única clínica de Minas com essa plataforma”, afirma Tathya e informa: “A radiofrequência induz a produção de colágeno, que promove firmeza na pele e alivia a fibrose. Aliada ao infravermelho, aquece as células de gordura, levando-as à ruptura e à morte. Já a drenagem, associada ao vácuo, tonifica os músculos e a pele, sendo excelente para a melhora da celulite.”
Outra exclusividade em Minas é o VoluDerm, indicado para rugas, estrias, cicatrizes e firmeza da pele. “O equipamento associa microagulhamento com a liberação de energias (radiofrequência e corrente galvânica), otimizando a autoprodução de colágeno e ácido hialurônico”, descreve. A clínica também acaba de adquirir o ultrassom Ultraformer 3. “Sua ponteira microfocada trabalha face e pescoço, estimulando o colágeno e dando sustentação; enquanto a macrofocada, destinada para o corpo, quebra as células de gordura.”
E a lista segue, a exemplo do aparelho de criolipólise CoolTech, que ataca a gordura localizada por meio do congelamento das células adiposas; da radiofrequência Exilis, única radiofrequência focada e não invasiva do mundo, indicada para flacidez; e do laser Fotona 4D, que faz mais de 70 tipos de tratamento, de calvície a micose de unha e rejuvenescimento.

Pedro VilelaLUCAS MIRANDA
A opção pela dermatologia não foi motivo de dúvida para o médico, formado pela UFMG e com residência na Universidade Federal de Juiz de Fora. De volta a Belo Horizonte em 2012, Lucas Miranda trabalhou por três anos na clínica Francisco Duarte, até que, em 2015, a cartela de clientes passou a não comportar mais o espaço, levando-o a abrir consultório no complexo Lifecenter, no Serra.
Especializado em estética facial e doenças do couro cabeludo, Lucas é referência na técnica de sutura Silhouette, que atua na flacidez. Evolução dos antigos fios de ouro, russo e búlgaro, o procedimento utiliza ácido polilático, substância biocompatível e reabsorvida pelo corpo em dois anos. “O efeito, imediato, é semelhante ao do lifting facial cirúrgico, mas minimamente invasivo, sem cortes e cicatrizes e apenas com anestesia local, já que introduzimos o fio com pequenos furos na pele”, diz.
O médico também trabalha com o MD Codes (Códigos Médicos), método que mapeia as fragilidades dos pontos de sustentação do rosto. “Fazemos a reposição, com ácido hialurônico, precisamente nas estruturas onde houve reabsorção de gordura e osso, trazendo resultados mais naturais e próximos de como era a face antes da perda de volume”, explica.
Já no setor capilar, a calvície é tema da maior parte das consultas. “A técnica de Microinfusão de Medicamentos na Pele (MMP) revoluciona toda a forma de tratar a alopecia androgenética. Consiste em uma ‘caneta’ com 27 agulhas de 0,5 mm que varrem o couro cabeludo, injetando os medicamentos folículo a folículo”, detalha Lucas. Ele ainda destaca o laser Spectra, único aparelho provado pelo FDA (Food and Drug Administration) e pela Anvisa para tratar melasma, usado também para melanose solar e retirada de tatuagens.

Juliana FlisterKÉDIMA NASSIF
Mineira de Belo Horizonte, a dermatologista estudou na UFMG e fez residência no Hospital das Clínicas. Mas o início de sua carreira foi fora de Minas. “Morei um ano em São Paulo, para estudar tricologia, no Hospital do Servidor Público Municipal; e um ano no Rio, para estudar cosmiatria”, recorda Kédima Nassif.
São Paulo não foi exatamente uma passagem. Em 2017, ela foi convidada pelo Hospital Público para assumir uma pesquisa em plasma rico em plaquetas para o tratamento de calvície, técnica que utiliza as células sanguíneas do próprio paciente para a regeneração. “Também desenvolvi um estudo sobre alopecia areata, um tipo de queda capilar autoimune e, paralelamente, faço minha segunda pós em cosmiatria”, relata.
No meio desse turbilhão, Kédima abriu o próprio consultório, em agosto de 2017, no Estoril. Um dos pontos altos é o núcleo Trikus, uma clínica capilar médica. “Fazemos a avaliação do couro cabeludo e dos fios por meio da tricoscopia digital: o equipamento Fotofinder permite diagnosticar, por exemplo, a calvície antes de ela ser aparente. Dessa forma, podemos tratar o problema com o método mais adequado”, explica. Destaque também para a umectação, uma nutrição profunda dos fios, com o fim de repor nutrientes como queratina. “O próximo passo é inaugurar o transplante capilar”, antecipa.
O setor de tratamentos corporais, por sua vez, conta com o aparelho ThermiTight, radiofrequência injetável indicada para gordura localizada e flacidez. “Ele faz um pequeno orifício na pele e introduz uma cânula, pela qual consegue aquecer a camada mais profunda da derme, estimulando síntese de colágeno”, pormenoriza. Já o Venus Legacy, radiofrequência desenvolvida na Universidade de Harvard, trata celulite, flacidez e gordurinhas como as da papada e do braço. “Somos a primeira clínica dermatológica da cidade com o equipamento.”
Para o rosto, a clínica tem certificação da marca de dermocosméticos SkinCeutical, associados com protocolos personalizados, a exemplo do MD Codes. Mas antes de ser submetida a qualquer tratamento, a pele passa pela análise digital do aparelho Visia, que une luz ambiente, polarizada e ultravioleta para gerar imagens em alta resolução de manchas, rugas e alterações superficiais.
O consultório ainda se divide em núcleos como o da Saúde da Mulher, em associação com ginecologista, para tratamentos de rejuvenescimento íntimo; e de Nutrologia e Nutrição, também com o apoio de profissionais da área.

Pedro VilelaLUCIANA SARAIVA
Formada pela Faculdade de Ciências Médicas, Luciana Saraiva não se considera exatamente da “nova geração” de dermatologistas, já que sua clínica, em Lourdes, completa dez anos em 2018. O fato, porém, é que ela está antenada às tendências. Por exemplo: ao ser contatada pela Viver, estava em um congresso da Academia Americana de Dermatologia, na Califórnia.
A médica fez especialização em dermatologia na Universidade Federal do Rio de Janeiro e, na sequência, no Instituto Nacional de Câncer, em dermatoscopia e oncologia cutânea. Ao regressar a BH, entrou para o corpo do Hospital Felício Rocho, trabalho conciliado, por alguns anos, com a clínica, focada em tratamentos estéticos corporais, faciais e capilares, em parceria com profissionais de dermatologia, endocrinologia e fisioterapia dermato-funcional. “Iniciamos neste mês a terapia de rejuvenescimento íntimo, com o aval de ginecologista. Aplicar laser em mucosa é muito sério”, diz. A técnica melhora o aspecto visual da genitália externa, com o estímulo de produção de colágeno, e a lubrificação.
No segmento facial, um ponto alto é o procedimento Skimbooster, hidratação injetável com ácido hialurônico e outros ativos. “Ele é indicado para tratar rugas e linhas superficiais e um efeito ‘gloss’, sem ganho de volume labial. Além disso, complementa a reestruturação e a remodelação da face”, especifica Luciana. Ela também é expert em MD Codes, tendo no currículo cursos com o criador da técnica, o
cirurgião plástico Maurício de Maio.
A dermatologista também destaca o CoolSculpting, aparelho desenvolvido em Harvard e precursor da criolipólise. “A novidade é a ponteira CoolMini, para tratar pequenas áreas, como papada, prega axilar e joelho, com perda de 20% a 25% de adiposidade por sessão.” Em relação à papada, ela quer trazer para a clínica a lipo enzimática. “A técnica já é feita com ácido deoxicólico, mas aguardo a aprovação da Anvisa de uma substância específica”, adianta.
A clínica também acaba de adquirir o Ultraformer 3 e o Exilis e estuda adquirir, nos próximos meses, o ThermiTight. “Por ser injetável, essa radiofrequência deve ser realizada apenas por médicos”, frisa.

Barbara DutraBRUNO VARGAS
A estética sempre esteve em suas ambições, desde os primeiros anos na UFMG. Mas não necessariamente a dermatologia. Bruno Vargas queria ser cirurgião plástico e chegou a fazer residência em cirurgia geral no Hospital Governador Israel Pinheiro. “Só depois descobri que a dermatologia abrangia pequenas intervenções faciais, meu maior interesse”, conta. Identificada a vocação, ele fez especialização no Hospital Eduardo de Menezes.
O primeiro trabalho foi em um consultório do bairro Planalto. Na sequência, ele e duas sócias abriram a clínica Inovatto, no Santa Efigênia, depois transferida para a Savassi. Até que, em 2017, Bruno deu outra virada: desmanchou a sociedade e transformou a razão social em Clínica Bruno Vargas, focada em estética, mas com uma equipe multi. “Nossos núcleos compreendem dermatologia facial e corporal, rejuvenescimento íntimo, tricologia, cirurgia plástica e nutrição”, relata.
No contrafluxo da crise, a clínica investiu em tecnologia, adquirindo equipamentos consagrados, como Velashape 2, Ultraformer 3 e ThermiTight. Um dos carros-chefes é o laser fracionado Erbium Glass, indicado para calvície. “Ele provoca um processo inflamatório que leva ao aumento da circulação e da oxigenação no bulbo e, consequentemente, do crescimento”, diz. O equipamento também é indicado para flacidez, cicatrizes, rugas e rejuvenescimento. O consultório ainda oferece todos os tipos de tratamentos injetáveis, incluindo o onipresente MD Codes. “Utilizamos a técnica de drug delivery para facilitar a entrada e a penetração dos ativos”, conta. O método consiste em microagulhamentos por meio de pequenos agulhas ou lasers, de forma que o medicamento penetre mais profundamente.
Criador do website Portal do melasma, Bruno quer ampliar a presença on-line: planeja lançar ainda este ano o Portal da face, voltado para o tratamento com injetáveis. Também pretende investir mais em tecnologia e expandir os setores da clínica. “Sonho em abrir uma filial em São Paulo”, revela o empreendedor. 




Comentários