Mauro Ladeira

O fim está próximo

Imagem de Gerd Altmann por Pixabay

 

“A batalha para alimentar a humanidade chegou ao fim. A partir de 1970 o mundo irá passar por fomes – centenas de milhões de pessoas irão morrer por desnutrição, a despeito de qualquer programa que seja iniciado agora. Neste ponto tardio em que estamos, nada pode ser feito…” (A Bomba Populacional – Dr. Paul R. Ehrlich – 1968

“Repentinamente… a humanidade se encontra confrontada por uma multidão de crises sem precedentes: a crise populacional, a crise ambiental, a crise de fome mundial, a crise energética, a crise das matérias primas, para nomear apenas algumas.” (Momento de Decisão – O Segundo Informe do Clube de Roma – 1976

            Estas são as palavras iniciais de dois dos mais influentes livros de suas respectivas épocas. Apenas Momento de Decisão teve mais de 30 milhões de livros vendidos. E como em 100% de todas as previsões catastrofistas, estas também estavam erradas. Tanto que aqui estamos.

           É um traço de nossa existência prever nosso próprio fim. Cada geração assume para si o papel contemporâneo de Luís 15 e anuncia com vigor: depois de mim, o dilúvio. E segue a caravana. Em 2011, o autor de A Bomba Populacional não se envergonhava de dizer que havia sido otimista em suas previsões. Um caso extremado de dissonância cognitiva.

A Humanidade criou e continuará a criar soluções para os problemas que enfrentarmos

          Enfrentamos agora a bomba do aquecimento global. Sim ele existe e é uma ameaça real. Também já tive dúvidas a respeito, mas vamos acordar que tamanha concordância entre cientistas do mundo inteiro não vem ao acaso. Claro, você leitor tem todo direito em acreditar na cabala globalista que nos governa e confabula para nos empurrar vacinas com chips que controlam nossos cérebros, mas acredito que se está é sua crença você não terá chegado ao final desta sentença.

          As previsões dos livros citados também se assentavam em modelos matemáticos, históricos e na melhor ciência de seu tempo. Então como erraram? A resposta está na “melhor ciência de seu tempo”. Todos eles ignoraram ou desprezaram a engenhosidade humana. A humanidade criou e continuará a criar soluções para os problemas que enfrentarmos. E aqui possivelmente terei perdidos os leitores que me restavam, assustados com minha ignorância ingênua. Mas sigo firme na crença de que o bicho papão da maturidade de meus filhos será outro.